Maia diz que, 'talvez pela primeira vez', sociedade viu governo 'se preocupar com a vida das pessoas'

Presidente da Câmara comentou coletiva de Jair Bolsonaro, que apresentou balanço de medidas após ser criticado por minimizar coronavírus. Maia não foi a [...]

Por Portal Curiúva em 18/03/2020 às 20:29:02


Presidente da Câmara comentou coletiva de Jair Bolsonaro, que apresentou balanço de medidas após ser criticado por minimizar coronavírus. Maia não foi a encontro de chefes dos poderes. Presidente da Câmara, Rodrigo Maia, em imagem desta terça (17)

Luis Macedo/Câmara dos Deputados

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse nesta quarta-feira (18) que, "talvez pela primeira vez", a sociedade tenha visto o governo "se preocupar com a vida das pessoas".

A declaração foi dada ao comentar a coletiva do presidente Jair Bolsonaro, à tarde, em que o presidente e diversos ministros apresentaram um balanço das medidas tomadas no enfrentamento do novo coronavírus. Bolsonaro vinha sendo criticado por minimizar a pandemia e falar em "histeria".

"Hoje eu vi uma foto de um governo tentando organizar o enfrentamento à crise. Acho que hoje, talvez pela primeira vez, a gente tenha visto uma foto onde a sociedade fala: "agora sim, começaram a se preocupar com a vida das pessoas"", declarou Maia.

O presidente da Câmara não compareceu à reunião convocada pelo presidente Jair Bolsonaro com outros chefes de poderes da República, e realizada na noite desta quarta. O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), também não foi ao encontro porque está com coronavírus – o exame saiu nesta quarta.

Maia justificou a ausência sob o argumento de que a sessão da Câmara na noite desta quarta, destinada a votar o decreto que reconhece o estado de calamidade pública no país, deveria se estender até mais tarde.

"Acho que mais importante do que uma reunião hoje é aprovar uma medida que é urgente", afirmou.

"Governo já deveria ter fechado fronteiras e restringido voos", diz Maia

'À disposição'

Além do projeto de decreto de calamidade, a Câmara prevê ainda votar uma medida provisória que traz regras para incentivar a renegociação de dívidas tributárias entre a União e seus devedores.

Maia disse estar à disposição "sempre" para encontrar Bolsonaro desde desde que haja uma pauta definida e não apenas "para fotografia".

"Eu estou à disposição sempre. Posso encontrar o presidente em qualquer lugar, com pauta definida. Não uma pauta para fotografia, isso não é o mais importante. Importante é que na primeira reunião que possa acontecer, amanhã ou depois de amanhã, nós consigamos sair dela com pontos organizados, com soluções, uma articulação para que todos, em conjunto possam ajudar o Brasil a passar por essa crise", afirmou Maia.

O presidente da Câmara voltou a defender o reconhecimento de calamidade pública para permitir que o governo tenha margem para destinar recursos para minimizar o impacto.

Initial plugin text

Fonte: G1

Tags:   G1
Elis Rosa

Comentários

Absoluta multimarcas